Coisas Boas em Alta
Gastronomia em Alta

Ataskei-me na Areia

No domingo, que pela temperatura elevada para esta época do ano já convidava a uns mergulhos no mar, desloquei-me até ao Guincho na esperança de sentir vento refrescante que costuma soprar naquela zona balnear.

Como, para mim, um passeio é sempre uma excelente oportunidade para me permitir boas experiências gastronómicas e lembrando-me de uma patuscada tida naquela zona por ocasião de um aniversário de uma amiga, decidi revisitar  a tasca onde o mesmo ocorrera.

Tinha a certeza de que me ia deliciar com as petiscos ali preparados e usufruir do ambiente rústico da antiga Adega do Crossas, hoje, Ataska n´ Areia.

A pouco mais de 5 minutos da praia do Guincho, Duarte Brak Lamy , um jovem habituado às areias da Costa de Caparica, criou, há cerca de nove anos, o conceito do restaurante de praia virado, quase em exclusivo, para a confeção de petiscos. 

Mantendo uma decoração a recriar uma adega. O espaço oferece mesas corridas ladeadas pelos respetivos bancos de madeira e ainda uma espécie de pequeninas salas separadas por paredes ornamentadas com garrafeiras de tijolo.

Estas criam as condições perfeitas para uma refeição mais intimista e a salvo de pandemias, pelo que são sempre muito requisitadas e eu não fui exceção!

Confortavelmente sentado, foi-me dada a ementa que li com atenção e demora, dada a variada oferta que se me apresentava.

Sendo um fã incondicional de espargos, até pelas propriedades diuréticas e drenantes que promove, logo optei por pedir este vegetal mexido com ovos.

De seguida, uns estaladiços peixinhos da horta que, de imediato, me fizeram lembrar do ardiloso estratagema usado pela minha tia Teresa para me convencer a provar feijão verde que eu, em criança, teimava em dizer que não gostava.

Peixinhos da Horta

Umas bolinhas de alheira com molho mel e mostarda e umas apetitosas lascas de batata com maionese de alho fizeram as delícias de uma boca que se havia de deslumbrar com as lulinhas a la guilho e respetivo soberbo molho à base de azeite, alho, tomilho e óregãos.

Lulas a la guilho

Tudo foi acompanhado por uma refrescante sangria branca que combinava muito bem com os condimentos  e texturas da minha seleção.

Para rematar, elegi um leite de creme com açúcar queimado na hora a não desiludir os amantes desta típica sobremesa portuguesa.

Satisfeito com a refeição e com o atendimento, saí dali com a certeza de regressar para enfiar o estômago na Areia e ataskar uns quantos petiscos.

Subscreva
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Tem algo a dizer? Comente este artigo!x