Coisas Boas em Alta
Entrevistas em Alta

O Poder de Caminhar a conversa com Quirino Tomás

Quirino Tomás largou o seu emprego na área da Engenharia Civil para viajar pela Ásia.  

Mais de um ano depois, regressou a Portugal convicto de que não voltaria a enfiar-se num escritório. 

Serviu de guia, até que decidiu lançar a sua própria empresa. 

Acaba de editar o livro “O poder de caminhar”.

Foi num dia de intenso calor que conversamos sobre a sua aventura

Como se meteu na engenheira?
No nono ano, os testes psicotécnicos, indiciaram um “bom casamento” tanto para a área da Economia como das Ciências. Depois de optar pela área das Ciências (por ser mais abrangente), e uma vez que a minha irmã estava a estudar Engenharia Civil, acabei por enveredar pela mesma via que ela. A realidade, é que sempre a vi como um modelo a seguir e na altura, seguir as suas pisadas, pareceu-me ser o caminho natural e a escolha mais acertada.    

Porque decidiu sair? Largar tudo!
Durante os anos da faculdade realizei dois Interrails e nesse período, viajar passou a ser um grande objetivo de Vida. Quando terminei o curso, naturalmente tinha como meta realizar uma grande viagem, porém não tinha capital disponível para esse “empreendimento”. Foi assim que trabalhei durante três anos, poupando o máximo para poder realizar esse sonho/objetivo. Quando tive o privilégio de estar a cumprir esse sonho, durante uma viagem à Ásia, compreendi que era a viajar que realmente me sentia realizado e que era muito bom “nisso do viajar”. De certa forma, nesse momento compreendi, que quando regressasse a Portugal iria tentar por todos os meios, não regressar à Engenharia Civil e tentar uma via alternativa e que me permitisse sustentar economicamente.         

O que é isso de caminhadas?

Depois de nove anos nos escuteiros e de uma longa ausência dessas vivências de infância/adolescência de contacto com o meio natural, na Ásia resdescobri o gosto de caminhar na Natureza, fosse em florestas, montanhas, vulcões, praias e selvas. Aos poucos, caminhar, aliás caminhar na natureza, foi-se tornando na minha forma de estar na vida. A forma como me conecto comigo, com os outros e com o planeta. 

Com que regularidade caminhava?

Prefiro responder no presente. Caminho todos os dias, porém nem todos os dias consigo caminhar na natureza.

Agora edita “O poder de caminhar”. Que livro é este?

Gosto de olhar para ele como um livro que encerra em si mesmo, vários livros:

. o livro prático com dicas sobre: equipamento, níveis de dificuldade dos percursos, preparação física e psicológica, atitudes/comportamentos preventivos…  
. o guia com várias sugestões de trilhos (tanto em meio semi-urbano, como natural);

. o livro de crónicas de caminhada/viagem;

. as reflexões sobre a caminhada e de como a mesma, pode ser encarada como uma filosofia de vida.

Qual o benefício da caminhada?

A caminhada não gera apenas um “único” benefício, mas vários e que podem ocorrer de forma simultânea. Assim, a caminhada deve ser encarada holisticamente, uma vez que traz à nossa vida, benefícios em todas as suas vertentes. A caminhada (principalmente, quando realizada na natureza) é capaz de melhorar a nossa saúde física e mental, e simultaneamente ser encarada como benéfica para a nossa espiritualidade e/ou para o nossa “face” mais sentimental. 

Que conselhos daria a quem quer começar a caminhar?

Parecendo, um chavão: Passo a passo. Com muita calma e respeito pela saúde física, mental e sentimental de cada um.

Devemos logo fazer uma grande caminhada?

Pelo que respondi, na questão anterior, não devemos. Cada pessoa, deve conhecer-se e respeitar os seus tempos. Evoluir de forma consistente, será o caminho indicado para atingir metas e horizontes mais vastos. 


Li no seu livro que a caminhada promove a diminuição do cansaço e a falta de energia! Como é possível?

Existem pelo menos duas componentes muito importantes. A física e a mental. Na vertente física, é natural que no decorrer da caminhada possa existir cansaço. Porém, quando a caminhada acabar e a pessoa fizer uma pausa mais prolongada, a médio/longo prazo irá sentir-se com mais energia. Tal como acontece, quando praticamos desporto. Em larga medida, movimento gera mais movimento e mais vontade de nos movermos. 

Do ponto de vista mental, não tenho qualquer dúvida que a caminhada traz energia mental a todos nós, principalmente quand a caminhada é praticada na natureza. Uma vez que a mesma, consegue fazer-nos relaxar mentalmente, baixar os níveis de stresse e diminuir a nossa fadiga mental. Tudo isto, leva a um aumento da energia mental e uma sensação de bem estar generalizada.

Como foi essa experiência na Ásia? Fez a pé?

Posso afirmar, que essa experiência foi um marco na minha existência e um das mais importantes e felizes da minha vida. A pessoa que sou hoje, foi reformulada e reinventada nesses 16 meses e nada do que existiu depois dessa viagem poderia existir de igual forma. Na Ásia, viajei sobretudo em meios de transporte coletivos. Quando encontrava zonas naturais em estado mais puro e intocado, deixava a minha mochila maior (de aproximadamente 15/16 quilogramas) guardada numa estalagem, num hostel ou até no estabelecimento comercial/casa de alguém e pegava numa mochila mais ligeira que me acompanhava nas minhas caminhadas/deambulações na natureza. 

O Que é a Hike Land?

A Hike Land, é uma empresa de animação de turística que promove caminhadas na Natureza, tanto em Portugal continental, como nas ilhas. De uma forma mais poética, a Hike Land é a minha extensão e o “veículo” que me permite fazer o que amo: caminhar, viajar e partilhar a minha paixão pela natureza e pela vida com que caminha connosco. 

Subscreva
Notify of
guest

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sara Duarte
Sara Duarte
4 meses atrás

Parabéns pelo
artigo. Tenho o prazer de caminhar com a Hike Land, é muito agradável. Um abraço Quirino Tomás, excelente livro.

António Lisboa
António Lisboa
4 meses atrás

Ao guia e amigo, um grande abraço.
Parabéns pela tua partilha neste livro.

Adélia Mendes
Adélia Mendes
4 meses atrás

Adorei. É a caminhar que me sinto bem, leve..
Ainda nos vamos encontrar numa caminhada, a da Pateira de fermentelos à 28 de Agosto.
Muita força para continuar este sonho. 😜

3
0
Tem algo a dizer? Comente este artigo!x