Coisas Boas em Alta
Entrevistas em Alta

Alexandre Fernandes  “O Peso Perfeito para Si”

Alexandre Fernandes é licenciado em Nutrição e Engenharia Alimentar e em Ciências da Nutrição, autor de inúmeros livros, convidámos o Alexandre para uma conversa descontraída sobre a sua mais recente aventura “O Peso Perfeito para Si”.

Como foi que se começou por interessar pela nutrição?

Não foi bem interesse! Na verdade entrei no curso de Nutrição e Engenharia Alimentar porque acabei por não ter média para entrar em Ciências Farmacêuticas. E depois de ter frequentado o primeiro ano do curso de Nutrição tive a oportunidade de fazer a transferência para o curso de Ciências Farmacêuticas. No entanto, já estava tão envolvido com a Nutrição, que já não me fazia sentido mudar de curso. E foi assim! Após terminado o curso em Nutrição e Engenharia Alimentar ainda estudei várias pós-graduações na área e também em Marketing, que é uma outra área que me fascina.

Ao mesmo tempo desenvolveu um lado esotérico? Como se revela no seu dia-a-dia?

Sim, desde que praticamente que me conheço que procuro desenvolver o meu lado mais espiritual. E tudo começou, ou melhor, comecei a ter mais consciência desta temática a partir dos meus 15 anos com a presença no meu dia-a-dia de seres de Luz (Anjos). Até porque quem segue um pouco do meu trabalho pode constatar que todos os meus livros publicados são dedicados aos seres de Luz.

A partir dos meus 15 anos e à medida que crescia e desenvolvia a minha personalidade, e mesmo durante o curso de Nutrição e Engenharia Alimentar, procurei sempre estudar cursos de desenvolvimento pessoal e espiritual. O meu primeiro foi com 21 anos e estudei 3 anos de astrologia. O objectivo é sempre o mesmo, isto é, conhecer-me melhor, ser a minha melhor versão todos os dias, melhorar os meus aspectos negativos e reforçar os positivos, por exemplo.

Para ser verdadeiro, sempre lidei muito bem com esta minha capacidade de ver, ouvir e sentir os seres de Luz. Actualmente, trabalhamos juntos nas mais variadas consultas que dou, nomeadamente: leituras de aura, EFT, Barras de Acess, hipnose, e outras. E claro, nas consultas de nutrição também, mas só quando estas terminam e sinto a necessidade de aprofundar mais os motivos dos clientes a procurarem na alimentação um conforto. Isto porque a maioria dos clientes procuram aprofundar mais as razões emocionais que estão por detrás do seu excesso de peso ou obesidade (quando não são razões plausíveis, tais como: sedentarismo, maus hábitos alimentares, doenças genéticas, toma de medicação, etc). E é esta minha vertente que me diferencia dos outros profissionais e sou mais procurado.

Do ponto de vista alimentar quais são os maiores erros?

Aqueles que eu detecto com alguma regularidade são: ausência do fraccionamento alimentar – as pessoas por norma fazem praticamente três refeições principais (pequeno-almoço, almoço e jantar), ingestão de água inadequada (a maioria atinge apenas 0,5l de água ou menos), consumo insuficiente de fibras (que devem provir de uma alimentação natural com a presença de frutas, vegetais e legumes), consumo excessivo de proteínas – que provêm da carne, peixe, ovos, lacticínios e dos derivados, uma ingestão regular de fast-food porque é mais barato, rápido e cómodo, para além de alimentos ricos em gorduras, açúcar e sal. Ainda assim existem muitos outros erros alimentares, mas para mim actualmente estes seis são os principais.

Que devemos fazer sempre para ter uma vida mais saudável?

Acima de tudo devemos visitar o nosso médico assistente para realizarmos um check-up anual. Se tudo estiver dentro dos parâmetros normais, uma consulta com o nutricionista é sempre bom porque este profissional realça a importância de uma alimentação equilibrada e prescreve um plano alimentar individualizado. O que vai trazer ainda mais bem-estar, alegria e equilíbrio à nossa vida. Para além da dieta é fundamental estarmos bem hidratados, com uma ingestão de 1,5l a 2,0l de água por dia, e praticar com regularidade exercício-físico. Para aquelas pessoas que por ventura não tem disponibilidade, uma caminhada todos os dias também já faz milagres. Quero ainda acrescentar que, ter uma excelente noite de sono ajuda e muito ao nosso organismo, bem como termos diariamente uns minutos para relaxar, meditar ou simplesmente para não fazermos nada.

Agora surge “O Peso Perfeito para Si”, que livro é este?

Resposta: É um livro que debruça-se praticamente nos traumas, situações e acontecimentos da vida que levam a que a pessoa encontre na comida um escape. Logo comer a mais é apenas a solução encontrada para “resolver” os problemas emocionais. Ou seja, come-se de forma inconsciente e compulsiva. Na realidade procura-se nos alimentos algum conforto para preencher um vazio emocional. Porque se não sentimos fome, não vamos comer. Mas se confundimos ansiedade e stress (que provêm dos traumas e outros acontecimentos marcantes) com fome, podemos comer demais. E dificilmente conseguimos ficar saciados, e a solução é continuar-se a comer. É por isso que cultivar a consciência dos sentidos e das emoções é um aspecto tão essencial para recuperar de um trauma, e nestes casos do excesso de peso e da obesidade. Resumindo ao contrário de termos apenas uma visão parcial e a ideia de termos que somente tratar o corpo com uma dieta e exercício-físico. Este livro adopta uma visão holística… corpo, mente, espírito, emoções e energia estão inteiramente ligados entre si.

Há um peso perfeito? Qual a importância de ter um peso perfeito?

Resposta: Pode-se dizer que sim! Cada um de nós sente-se bem com um determinado peso ou um intervalo de peso. Se tivermos a mais ou a menos não nos sentimos bem. E isso, abala fortemente a nossa auto-estima, o nosso amor-próprio logo a forma como nos vimos e estamos no mundo. Daí a importância das consultas de nutrição, nem que seja simplesmente para uma reeducação alimentar e para uma gestão do peso corporal.

Há casos onde há uma prática desportiva e uma redução na alimentação! Porque não perdemos peso?

Resposta: Vários são os motivos. Mesmo com esses hábitos saudáveis, a toma de medicação, disfunções hormonais, doenças genéticas por exemplo, são os principais motivos para que uma pessoa possa não conseguir eliminar os quilos que tanto deseja.

Qual a ligação da autoestima com o peso?

Então o significado de autoestima consiste numa avaliação subjectiva que determinado indivíduo faz de si próprio e muitas vezes tem este conceito destorcido ou ausente da sua vida, por que motivos forem.

Socialmente um obeso é visto com “maus olhos” pela maioria da sociedade. Assim sendo, muitas pessoas criticam e tecem juízos de valor precipitadamente sobre os quilos a mais de alguém, atribuindo o seu estado a muitos descuidos. Ainda que isso não seja relevante, nem diga respeito à vida delas, não poupam esforços em denegrir a imagem de um obeso. E, como é lógico, também nem sequer lhes passa pela cabeça todas as experiências vividas destas pessoas obesas.

Associado a isto o estigma do excesso de quilos, em maior parte, provém do marketing e da publicidade actual, onde prolifera e reitera a falsa ideia do “corpo perfeito” e fazem com que as pessoas constantemente se comparem umas com as outras. O resultado, das comparações e do sistema de crenças existente em relação ao peso, é a falta de autoestima e muitas dessas pessoas acreditam que têm que perder peso custe o que custar, quando nem sequer necessitam ou são absolutamente lindas e fantásticas como são e como estão.

E é aqui que entram as emoções! Pessoas com peso a mais tendem a ter sentimentos de medo e a sentir-se desprotegidas, em muitos casos costumam ser pessoas com carências afectivas e emocionais, e insatisfeitas sexualmente. Comer passa a ser um “remédio” e uma cura para as suas insatisfações, sejam elas quais forem. O excesso de peso também é favorecido pela solidão, tédio, tristeza, rejeição, raiva, medo, fracasso, sensações de abandono e pensamentos negativos vividos ao longo da vida. E este livro faz toda a diferença!

Os seus conselhos usados em quanto tempo notamos resultados?

Claro que depende de várias variáveis, tais como a motivação, o cumprimento do plano alimentar esquematizado, a prática de exercício-físico, etc contudo em 21 dias as pessoas podem eliminar entre 3 a 5 quilos. O que é muito bom!

Quem acha que vai ter muito gosto a ler o seu livro?

Todas aquelas pessoas que já fizeram dietas (independentemente se foi de forma voluntária ou acompanhada) e tiveram mais tarde aumento do peso – o vulgar e chamado efeito ioiô –, vão e muito beneficiar com a leitura do livro. Porque este livro tem uma visão completamente diferente e irreverente. Até porque se estas pessoas obesas voltarem a repetir o mesmo, isto é, se voltarem a fazer dieta e não trabalharem paralelamente as suas emoções, o mais certo é determinada a dieta aumentarem o peso. E regressa-se ao efeito ioiô, e na verdade até ganham-se mais uns quantos quilos. Lembre-se Miguel que os mesmos comportamentos, levam sempre aos mesmos resultados. Logo comportamentos e abordagens diferentes levam a resultados diferentes.

Quem privilegia o amor-próprio, por norma está em perfeita sintonia e sincronia com a dádiva da vida. Encontra o ritmo perfeito, vive uma vida equilibrada, come de forma consciente e intuitiva, pratica exercício-físico com regularidade, ou seja, adopta um estilo de vida e um bem-estar para além do fantástico e do excepcional! Porque afinal de contas essa pessoa está totalmente grata e vive em paz com a sua imagem corporal e com aquilo que é e tem!

Subscreva
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Tem algo a dizer? Comente este artigo!x