Coisas Boas em Alta
Entrevistas em Alta

20 anos de carreira de Slimmy

Slimmy celebra 20 anos de carreira com uma edição especial do seu primeiro Best Of, 

Motivo para conversarmos com o artista e viajar nos seus 20 anos de carreira.

como foi que tudo começou?

Depois de uns efervescentes anos 90, em que comecei a tocar guitarra e baixo, e a ouvir muita musica de diferentes estilos, decidi começar a fazer umas coisas minhas e pra isso comprei uma caixa de ritmos em 99, que me permitia tocar sozinho e o estilo que me apetecia. Em 2000 entrei num concurso da Roland, em que fui de segundo suplente para terceiro, e aí nasceu oficialmente o slimmy, comecei a fazer pequenos concertos no formato one man show, e fui gradualmente acrescentando gente ao projecto.

De onde vem o nome Slimmy, tem alguma coisa a ver com o corte das calças?

Não (risos), foi a primeira e única palavra que encontrei para me definir na altura, um pouco pela influência do moby ( li algures que as palavras acabadas em y ficavam mais na cabeça), era muito magro, e toda a gente mo dizia na cara, então veio a ideia desse nome artistico.

Que balanço fazes destes 20 anos?

Não foi seguramente uma linha reta, teve curvas, subidas, descidas, mas enche-me de orgulho ter sido capaz de levar as coisas prá frente, mostrar que tinha talento, tocar as pessoas com a minha música, e construir uma história bonita de resiliência e persistência, e isso faz com que olhe para trás de uma forma muito positiva, não obstante algumas dificuldades e periodos menos bons que também tive.

Quais os momentos mais marcantes desta carreira?

Há varios, em 2005 após 4 meses em Londres, tive uma tour com os electric 6, que me levou a tocar para salas esgotadas por todo o Reino Unido, deu-me a primeira sensação que tinha feito a escolha certa. Em 2006 a quando da inclusão de um tema meu no CSI Miami, em que me provava que nós não ficávamos nada atrás de ingleses ou americanos na escrita de boas canções, e em 2011 na Queima das Fitas do porto, primeira parte dos Franz Ferdinand, em que estavam 30 e tal mil pessoas, familia e aigos todos, e foi um momento unico.

Sei que andaste uma fase menos boa, mas o apelo familiar deu-te uma grande ajuda?

Sim, tive uma depressão que me levou ao abuso de drogas e de álcool, e tive a importante ajuda da minha mulher e da minha filha “emprestada”, que me deram a mão na minha pior altura, não desistindo de mim, e contei com o apoio incondicional da minha mãe e dos meus irmãos, que sempre foram e são pilares importantissimos na minha vida

O que mudou com a paternidade?

Já tinha mudado antes o que deveria ter sido mudado, nasceu a minha primeira filha biologica, mas tenho sido pai já ha 6 anos e a nivel de Slimmy, acho que mudou pouco, como é obvio dorme-se menos neste momento, mas ama-se muito mais, e rodeado desse amor como estou neste momento, sinto-me mais prolifico e obstinado a fazer as coisas, e encaro com mais optimismo todos os futuros projectos

Como defines a tua sonoridade?

Sempre respondi a esta pergunta dizendo que não tenho estilo musical nenhum, é no aglomerado de vários estilos que encontro a minha essência e que tento fazer disso algo unico, eu diria que é uma obvia mistura entre rock e electro, com elementos de dance music, mas também sou eclético ao ponto de escrever ao piano ou com a guitarra acústica

O que podemos encontrar neste Best Of?

Traz 21 temas, todos os singles dos meus 4 discos de originais, mais alguns singles que lancei separadamente, traz 5 pins, um livro de fotos alusico a cada ano, e ofereço uma pasta google, com material exclusivo e inédito, onde podem ouvir raridades, albuns acusticos, remixes, etc

Depois deste disco o que virá a seguir?

Estou ha 2 meses a trabalhar já num album novo, com a minha banda a gravar e a produzir, irá ter algumas participações tambem, e terei um single novo My baby Camila  pronto em algumas semanas.

Como estão a ser este dias de recolhimento?

Têm sido mais ou menos trnquilos, como musico já passava muito tempo em casa, quer a fazer o trabalho de secretaria , quer a compor, escrever ou a gravar, tem um lado estranho de nos afastar da familia, mas felizmente ainda não nos calhou o virus, e tenho tentado ser positivo e pensar que é apenas uma fase e que logo virá uma certa normalidade, para poder levar para a estrada este best of.

Passaram 20 anos desde que tudo começou, onde te estas a ver daqui a 20 anos?

Espero ainda ter energia para ser o performer em palco a que habituei as pessoa, espero ter a lucidez para continuar a escrever musica excitante e que transmita algo às pessoas, prefiro pensar dia após dia, e apenas prometer dar o máximo sempre.

Subscreva
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Tem algo a dizer? Comente este artigo!x
()
x