Coisas Boas em Alta
Gastronomia em Alta

O Restaurante da Terra

Nada melhor para reavivar as Memórias da Culinária Alentejana é uma viagem gastronómica ao Alentejo profundo, uma visita amistosa, aos hábitos alimentares do Alentejo.

Desta vez aproveitando uma deslocação em trabalho o destino foi Almodôvar, toponímia que deriva da palavra árabe Al-Mudura que significa “a coisa em redondo, ou cercada em redondo”.

Seguindo algumas pistas e conselhos prestados, lá fui ao restaurante com o nome na terra, na esperança de encontrar a genuína cozinha alentejana.

E assim foi, nada como a degustação de um belo e típico cozido de grão, preparado com grão-de-bico, diversos legumes e vários tipos de carne e enchidos, acompanhados de um caldo maravilhoso, com pão fatiado e hortelã, para recordar os sabores alentejanos e aromas de origem árabe, cercados por uma tigela alta uma verdadeira Al-Mudura.

A hortelã é um analgésico, antisséptico e tranquilizante sobretudo a nível local e das mucosas do aparelho digestivo, inibe espasmos gastrointestinais e estimula a produção da bílis, relaxa os músculos do estômago facilitando a digestão, relaxa os músculos do esfíncter do esófago, ajudando a libertar refluxos digestivos o que pode também causar sensação de azia.

Em suma, diria que será o ingrediente adequado para a digestão das gorduras desta farta refeição.

A arte de saber comer, beber e petiscar no Alentejo tornou-se num ritual, numa forma única de estar, viver e conviver.

No Restaurante Almodôvar não é uma exceção à regra, contudo, sendo um concelho dividido entre a serra e a planície, apresenta produtos de particularidades, saberes e sabores distintos.

A gastronomia local reflete o gosto pela caça numa grande variedade de pratos deliciosos como a açorda de perdiz ou a sopa de lebre, mas também as típicas especialidades do Alentejo, tais como o ensopado e o guisado de borrego, o cozido de grão ou o cozido de couve.

Para adoçar o paladar dos mais gulosos, é obrigatório provar o Bolo Chibo, com mel e canela e a aguardente de medronho da Serra do Mú, nunca deixando parte os excelentes queijos e enchidos.

Foi uma refeição agradável muito por causa do serviço formidável, assente na simpatia típica destas gentes, na arte de bem receber.

Os preços nesse lugar merecem destaque , pois são adequados, 10 euros por pessoa nos dias de hoje não escandalizam ninguém para meio cozido de grão, um copo de um excelente “rafeiro” tinto alentejano e um café.

Quando entrei neste lugar, reparei no ambiente calmo e relaxante, não estivesse eu no Alentejo profundo.

E porque ervas e cheiros foram bens que a mãe Natureza nunca lhe negou, o alentejano aprendeu a usar produtos simples e pobres na feitura de pratos onde o gosto e o prazer de comer constituem um acto cultural cada vez mais divulgado e reconhecido.

A prova disso é que sai da porta com um sabor mentolado maravilhoso, gerado pela já aludida hortelã.

Visitado e recomendado,

Morada

Rua dos Bombeiros n.º 4 – 7700 Almodôvar

T: 286 665 012

Horário

Segunda a Sábado
12h00-15h00 e 19h00-22h00

Descanso Semanal – Domingo

Subscreva
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Tem algo a dizer? Comente este artigo!x