Coisas Boas em Alta
Entretenimento em Alta

Elétrico 16

Frequento um Clube de Leitura.

Gosto de ouvir falar de livros.

Ontem foi a vez da escritora Filomena Marona Beja de quem eu nunca tinha ouvido falar. Mas confesso que fiquei fascinada a ouvir o que ela escreve.

Achei um admirável romance que progride, ao sabor das flutuações do dia a dia  de uma Lisboa popular cujo rosto fechado, rígido, socialmente contido e que o 25 de Abril de 1974 veio transformar, dando à cidade do Eléctrico 16 finalmente uma fisionomia cosmopolita, europeia, de costumes modernos.

Sempre regida pelo gosto para uma escrita narrativa marcada por uma lúcida rejeição do acessório, e uma imposição do essencial, Filomena Marona Beja mostra como parece ser fácil escrever.

Filomena Marona Beja nasceu em Lisboa, em 1944. Cresceu na Rua do Açucar, mas é avessa a histórias glicodoces, até porque o século XX português, pleno de transformações sociais e mentais.

Filomena Marina Beja

Se o seu livro de estreia, As Cidadãs, cuja reedição, em 2009, coincidiu com as comemorações do centenário da implantação da República, decorre no início do século, o que se lhe seguiu, Betânia em 2000, permite-nos acompanhar uma história que decorre do nascer ao pôr-do-sol do dia da morte de Oliveira Salazar, em Julho de 1970. Romance com força narrativa ímpar, com o qual obteve o Grande Prémio de Literatura em 2006.

Já  A Sopa em 2004, centra-se nos anos finais do século XX, designadamente na chegada a Portugal dos imigrantes africanos e do leste europeu.  Já conseguimos ver o que ela gosta de escrever. 

Aluna do Lycée Français Charles Lepierre e da Faculdade de Ciências da Universidade Clássica de Lisboa, onde se licenciou, Filomena Marona Beja é um escritora feminina mas não feminista.

Este livro conta a história de Helena que cresceu em Lisboa, num Portugal mergulhado na ditadura e envelhece, agora, num país em crise.

Fala de Joel o seu amor, de Salazar , da opressão, e de Humberto Delgado.

E fala muito da esperança e da liberdade.

A história de Helena é um pouco a nossa História, a história de muitas mulheres que viveram dos meados do século XX até aos nossos dias.

Aconselho vivamente.

Vão se deliciar com a sua escrita. Parabéns!

Subscreva
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Tem algo a dizer? Comente este artigo!x