Coisas Boas em Alta
Notícias Boas

Black Mamba

Confesso a minha ignorância.

Não sabia quem eram os Black Mamba.

Até que um dia dentro do carro ouço uma música e pergunto: quem são estes?

São ingleses?

E ouço a resposta:

portugueses e estão a fazer sucesso.

Pois fiquei maravilhada com I Stil Alive e fiquei fanzoca das músicas deles.

Pedro Taborda, mais conhecido como Tatanka ou Pedro Tatanka, nasceu em 1986, em Sintra.

O nome apareceu porque dizem que é parecido com um Índio com esse nome.

Começou a tocar guitarra muito pequeno.

Os pais, que lhe reconheceram talento, inscreveram-no numa escola de música, e fez o seu primeiro concerto aos 10 anos. 

Apesar deste início promissor e como a música não era, na época, um interesse em comum com a maioria dos seus amigos, aos 12 anos abandonou os seus estudos musicais e começou a jogar futebol e a fazer surf.

Quando entrou no secundário, em conjunto com os seus colegas, formou a banda Malta Rude, com a qual teve algum sucesso na zona da Praia das Maçãs.

Com o final dos Malta Rude, formou os Bamdolede vida curta, e depois seguiu-se a ingressão na primeira banda do Richie Campbel.

É aqui que  finalmente sente, que o futuro  irá passar pela música.

Em 2010,  precisavam de um guitarrista para criar um grupo que iria tocar no Speak Easy.

Numa das jam sessions, por falta de vocalista, foi-lhe pedido que cantasse, passando a ser o frontman da banda.

É por esta altura que se junta o Miguel Cassaise começam os Black Mamba .

Em  2011 actuam e foi um enorme sucesso.

O grande entusiamo deu origem a 260 concertos nesse ano e à possibilidade de um contrato discográfico.

Seguiram-se o Rock in Rio e cantam em salas americanas.

E foi a sorte grande: a Fender a marca de guitarras convida-o para ser o seu rosto em Portugal: para quem não sabe a Fender é utilizada por Eric Clapton e Jimmy Hendrix.

Em 2014 lançaram, Dirty Little Brother, um trabalho com a Áurea e António Zambujo.

Apesar do grande sucesso e da enorme aceitação por parte do público, começou a sentir vontade de cantar em português e de fazer coisas diferentes das que fazia na banda, que eram mais pesadas e conotadas com a noite urbana. 

Em 2019 criou a sua própria editora, La Resistance e, lançou dois discos: um a solo  Pouco Barulhoe outro com os Black Mamba The Mamba King. E e a essa promoção que se tem dedicado nos últimos tempos, bem como à sua carreira a solo.

Recentemente, juntamente com os outros membros dos Black Mamba, atuou em Amsterdão, cidade que o impressionou e o inspirou bastante. E tem ideia de lançar novo trabalho.

A Pedro Taborda, espera-se ainda outros grandes sucessos e outras grandes conquistas.

Aos 34 anos tem, no entanto, uma noção muito clara do que já andou e do que aprendeu nesta viagem.

 Love Is on My Side, canção que lhe garantiu a vitória na edição de 2021 do Festival da Canção!

Não se quer desviar do caminho que tem vindo a traçar.

Acho bem!  

Continua Tatanka porque tens uma voz do outro mundo.

Parabéns!

Deixe um comentário

%d bloggers like this: