Coisas Boas em Alta
Notícias Boas

Red Frog

Tenho de reconhecer que este Bar é especial e não sei se estarei a altura para ir tomar um cocktail la.

Mas em Março vou lá  visitar.

São conceitos modernos de Bares. Vamos lá saber!

Emanuel Minez, sócio do já célebre espaço que até agora morava na Rua do Salitre, junto à Avenida da Liberdade, e que é até hoje era o único bar português a entrar na famosa lista dos The world’s 50 Best  Bars, muda-se para a Praça  da Alegria.

Saímos da rua do Salitre porque não houve renovação do contrato com o senhorio, explica o Minez , algo que  “já adivinhávamos que eventualmente pudesse vir a acontecer”.

Emanuel explica que pensaram em acabar com a marca mas depois arrepiaram caminho:

A dimensão que já tínhamos e o trabalho que ele já nos estava a dar não permitia que simplesmente acabássemos com o Red Frog.”

A mudança não será apenas de morada. 

A segunda vida do Red Frog , o novo espaço será na zona da Praça da Alegria,  passará por um assumir total do conceito de “speakeasy”, nome dado aos bares secretos que proliferavam pelas grandes cidades dos EUA no tempo da Lei Seca. 

Está nova vida vai passar por um speakeasy à séria, uma coisa muito mais pequena, de 20 a 30 lugares, e muito mais exclusiva.

Vão implementar pormenores como só se conseguir aceder ao espaço quem souber uma password específica.

Este período que estamos a viver quase que nos remete um pouco para os tempos da Lei Seca, daí o conceito de um speakeasy a sério ser algo que eles procuram 

A oferta de bebidas do novo Red Frog passará, pelo menos no início, por uma espécie de revisitar dos cocktails mais populares deste bar: “Estamos a pensar implementar um best of de cocktails do Red Frog, de todos os que já vendemos lá  o Spicy Lucky Cherry, o American Gangster, talvez aqueles mesmo alguns do início como o Red Potion… Coisas deste gênero mas com alguma componente de reinterpretação.”

A data de reabertura é apontada por Emanuel Minez , que continuará a manter como sócio o barman Paulo Gomes, para Março.

A carta deixara de ser a grande folha dobrada com as bebidas e agora é apresentada num livro.

Há mais opções, muitas novidades, e as que nunca saem do menu. 
A preparação de uma carta demora cerca de seis meses.

Entre viagens, pesquisas e muita prova, o processo da criação é  longo.Das novas criações, há cocktails preparados com waffles e pipocas.Gosto da ideia!

Vão experimentar?

Deixe um comentário

%d bloggers like this: