Coisas Boas em Alta
Histórias em Alta

Cruciverbalista

Quem gosta de fazer Palavras Cruzadas em casa ou no café, se calhar nunca pensou na pessoa que as faz e no trabalhão que deve ser.

Dizem os médicos que faz bem exercitar o cérebro procurando a palavra certa para encaixar no quadradinho.

Pois finalmente ouvi o Paulo Freixinho na rádio e gostei.

É autor de Palavras Cruzadas  desde 1990.

Começou  por ser desenhador gráfico, na revista Play, mas os dicionários mudaram a sua vida e em 1990, editou a primeira revista de passatempos.

Ao mesmo tempo, começou  a colaborar com a Agência Feriaque,

colaboração que resultou em milhares de passatempos. 

Presentemente, divide o tempo entre as publicações para as quais cria  Palavras Cruzadas para o jornal Público, JN, Selecções, e as plataformas online e o Clube de Palavras Cruzadas direcionadas para as pessoas escolas e bibliotecas. 

Adora ler e dedica-se ao  prazer de ler os grandes autores lusófonos, anotando palavras durante a leitura para usar posteriormente nas Palavras Cruzadas. Aos 45 voltou  à música. E baixista da banda Bon Sauvage, banda que já gravou dois discos.

A sua  palavra preferida é Xurdir, que significa fazer pela vida.

Acho bonita a escolha.

Profissão esta que diz ser inventada. Costuma dizer, principalmente quando vai  às escolas, que será  provavelmente o último cruciverbalista profissional. Isto, porque agora os computadores já fazem as palavras cruzadas e já não é preciso uma pessoa. 

Ainda assim, Paulo Freixinho acredita que há uma mais-valia de ser uma pessoa a fazê-las, porque há uma vivência. Termino agora pois vou fazer umas Palavras Cruzadas.

Parabéns Paulo Freixinho pelo seu trabalho!

Subscreva
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Tem algo a dizer? Comente este artigo!x
()
x