Coisas Boas em Alta
Gastronomia em Alta

Hot Hot Hot

Seus malandros(as), não é o que estão a pensar…

Hoje vamos falar de comida picante!!

Tenho um amigo que é fã de comida picante, e sobretudo dum prato, que nunca tinha ouvido falar, e que já vamos…provar.

O prato chama-se Balchão e é um prato tradicional da cozinha Indo-Portuguesa, de Goa, Damão e Diu, outrora pertencentes ao Estado Português da Índia.

Trata-se de um prato confecionado com “Balichão”, condimento oriundo da culinária de Macau, preparado com camarões e malaguetas, entre outros. O termo goês Balchão, deriva do termo macaense Balichão.

Se o quiser fazer em casa (o que não aconselho) vai precisar de 50(!!!) malaguetas, 1 cabeça de alhos grande, 20 cravinhos, 1 colher de chá de pimenta em grão, 5 cm de Açafrão das Índias, 1 colher de chá de cominhos, 1 colher de chá de canela, 2 colheres de sopa de tamarindo, 1 colher de sopa de açúcar, 5 cm de gengibre (moer fininho), 3 kg de carne de porco, 750 gr. de cebola, 1 chávena de balchão, 1 colher de sopa de vinagre.

Esta receita é para mais ou menos 8 pessoas.

Mas se não quiser ter este trabalho todo, poderá aproveitar este período conturbado de confinamento e encomenda-lo e recolhe-lo num restaurante simpático, chamado Sabores de Goa, situado na Rua do Zaire 17, ali aos Anjos.

Voltando ao meu amigo que é fã deste restaurante e sobretudo do Balchão, lá fomos, como que num ritual, em tempos de confinamento.

 Encomenda feita, lá estava à hora combinada.

Recolha feita, ala para casa, que é o único sítio onde se pode comer agora, e sobretudo em segurança.

Mesa posta, que o meu amigo não brinca em serviço. Sabendo da vida agitada que tem, deve ter posto a mesa para o jantar às 7 da manhã.

Vinho servido, sim que este prato pede vinho, bom…e muito!

Embalagens abertas, os cheiros misturados deste prato, espalham-se pela sala numa harmonia de cheiros orientais, que se fechássemos os olhos, poderíamos imaginar-nos em Goa.

Generosamente servidas as duas doses que pedimos, vinham até acima. Atrevo-me a dizer que não fôssemos uns alarves a comer, cada dose dava para duas pessoas.

Inspirado os aromas da carne e do arroz, brinde e tomada do primeiro gole, de um vinho que já não bebia há uns anos, um Quinta de Pancas. Mas não é de vinho que vos venho falar hoje.

Primeiro trago e uma explosão de sabores intensos que nos invade o palato, picante, não ao ponto de não conseguirmos comer, mas com aquela sensação agradável de ficarmos com a boca adormecida. O molho é espesso e escuro, quase castanho, o seu sabor forte e agressivo. Mas também depois de verem os ingredientes de que é feito, o que podiam esperar.

Muito bom! Combinação perfeita com um bom vinho.

Deixo aqui o desafio, provem o Balchão, sobretudo os mais corajosos que não se vão arrepender.

Ah!!! Tenham mais uma garrafa de vinho à mão, pelo sim, pelo não!!

Cuidem-se!!

Subscreva
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Tem algo a dizer? Comente este artigo!x
()
x