Coisas Boas em Alta
Coisas Boas

Asoka – Talho sem carne

O projeto é de Diogo Borges e o primo, Frederico Neves.

O primeiro trabalhava na área do turismo, o segundo é piloto.

Aproveitaram a pandemia, em que tinham  mais tempo livre, para montar este negócio.

Querem  mostrar às pessoas que há alternativas para tudo.

Diogo tem  1,90 metros e para ficar saciado comia dois hambúrgueres de carne, e  com estes come  apenas um e fica bem.

No Asoka trabalham quatro cozinheiros que criam todos os produtos, que são depois congelados num abatedor de temperatura, e terminados na casa dos clientes.

Há hambúrgueres, almôndegas, salgados (como croquetes, chamuças ou falafel), e molhos (maionese de castanhas, e ajvar — um molho típico dos Balcãs).

Asoka – Talho sem carne

Os salgados, por exemplo, podem ser comprados já fritos e ultracongelados, ou por fritar.

Podemos  fazer as nossas compras no número 267B, da Avenida Comandante Gilberto Duarte e Duarte, na Parede, ou comprar através do site e receber em casa.

As entregas ao domicílio são feitas às quartas-feiras e sábados — a taxa de entrega varia entre os 3,50€ e os 6,50€.

O espaço físico abre de segunda-feira a sábado, das 10 às 20 horas.

Os preços dos produtos variam entre os 2,40€ (húmus) e os 9€ (Beet Wellington).

Nesta altura, as entregas são o destaque, mas durante o período de pandemia podemos  visitar a loja e escolher tudo o que quiser através da vitrine.

O Asoka e apresenta-se a toda a gente como o “primeiro talho vegetariano com loja física de produtos frescos em Portugal”. A aventura começou quando Diogo Borges e o seu primo Frederico Neves conheceram o chef Asoka, agora responsável pela cozinha.

Asoka – Talho sem carne

Um dia foram jantar a casa do Chefe e ficaram rendidos.

Por aqui há o cuidado com o mundo animal, mas também com a saúde.

E tudo isto sem se perder o lado do sabor, claro.

Nos últimos anos a oferta vegan e vegetariana aumentou em Portugal, contudo, o Asoka salienta que continua a haver margem neste mercado para crescer.

Mas para facilitar ainda mais o trabalho a quem lá vai, o Asoka prepara também refeições prontas a consumir, como é o caso do bife Wellington com recheio de tofu fumado, beterraba, nozes, cogumelos envoltos em massa folhada, o empadão de batata doce , com cogumelos, espinafres, cenouras, ervilhas e tofu; ou a lasanha bolonhesa vegetariana .

Para quem gosta deste gênero de comida que avance! Tem tudo bom aspecto! Eu vou comer um bife a Portugalia!

2 Comments

Deixe um comentário

%d bloggers like this: