Coisas Boas em Alta
Coisas Boas

Benamôr

Para contarmos a história da Benamor, temos de recuar a 1925 onde foi aberto no Campo Grande um laboratório onde se criava pomadas que faziam milagres.

Eram cremes que suavizavam a pele, tudo feito com produtos naturais e metidos em bisnagas bem bonitas.

Entrei no Verão, numa lojinha em Vouzela, onde a montra estava cheia dos cremes que sempre gostei. A da Benamôr

Aí resolvi comprar uma série de sabonetes já a pensar no Natal. Comprei também uma bisnaga de creme para as mãos, que para além de cheirar bem notei que era mais do que uma embalagem bonita. Fez efeito.

 O renascimento da marca, agora no século 21, veio trazer novas fórmulas mas com a beleza das embalagens Art Deco. 

Hoje em dia, a gama já é vasta e inclui vário produtos para o rosto corpo e mais, e óleos multifunções óptimos.

Também há,  um creme de corpo, Rose Amelie, excelente,  que vai buscar o nome à Rainha Dona Amélia, fã de Benamôr e sempre a procura da beleza eterna.

O mesmo junta óleo de argão a rosas, o que resulta num creme leve e deliciosamente perfumado, mas que hidrata a fundo, deixando a pele nutrida e suave.

A caminho do centenário, a Benamôr acaba de acrescentar um novo ingrediente às suas “receitas naturais de beleza”.

Aqui entra imaginem, o alecrim. Com ele chegaram seis novos produtos, incluindo, por causa da pandemia, o  desinfetante de mãos da marca.

Conhecido por fazer bons temperos e pelo aroma, o alecrim é aqui utilizado pelas suas propriedades purificantes num sabonete, na versão gel duche, e em três cremes em bisnagas: para as mãos, para o corpo e também em  outra estreia ,para os pés.

Experimentem que vão gostar. E temos cremes que vão dos pés a cabeça! 

Subscreva
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Tem algo a dizer? Comente este artigo!x
()
x