Coisas Boas em Alta
Coisas Boas

Todos os homens…

Apesar de manter o anonimato (foi assím que me foi pedido, pelo “dono” desta página), confesso aqui que sou do género masculino, e portanto como (quase) todos os homens, a minha humilde colaboração, será sempre em torno das pequenas (ou grandes) coisas de que os homens gostam! 

Vamos lá então! Se perguntarem ou fizerem uma pequena sondagem, de que é que os homens gostam? Se respondeu “mulheres”, acertou em pelo menos 70% dos gostos (nestes novos tempos, não me engano se disser que os outros 30, também gostam de homens!!!!!). 

Comida!? Neste caso, mesmo os que atrás, terão outros gostos, arrisco a dizer que (sem fazer uma sondagem, apenas pela minha percepção) que aí deverão andar pelos 80%. Os outros gostam destas “coisas” novas das Prozis e Well’s da vida, para morrerem saudáveis, é certo que provavelmente durarão mais tempo, mas sem saberem o que é o verdadeiro prazer da comida. 

E carros? Aí…mesmo os que não gostam de mulheres e de comida, devem gostar…(digo eu, sei lá!). Aí já arrisco uns 90%. 

Será maioritariamente sobre estes 3 temas, que vou escrever (enquanto quiserem, e não for despedido!). 

Vamos então começar pelos carros. Desde pequeno (3 anos) que sempre adorei carros. Tive a sorte do gosto do meu Pai ser o mesmo, e gostar de trocar de carro. Cheguei a “conhecer”lá por casa, um carro por mês…outros tempos!! Lembro-me de pequeno, querer ir “trabalhar” com o meu Pai, porque podia passar a tarde, dentro dos carros, que lá havia à disposição… 

O meu pai, teve todos os carros que se poderia sonhar na altura (infelizmente não me lembro por ser pequenino, e portanto nãp pude aproveitar o conhecimento “in loco”) desde Ferrari, Mercedes, Mg’s, Alfa Romeo, etc…(de alguns tenho ligeiras lembranças…mas o melhor para mim foi… 

O Citroen DS 23 (O vulgarmente chamado de Boca de Sapo), foi o que gostei mais, talvez porque a minha idade já dava para melhor compreender a engenharia automovel e admirá-la. 

Aquele carro para mim era muito confortável (tinha duas verdadeiras poltronas atrás, com um braço separador nos bancos, que fazia de mim um VIP. Para além disso, tinha os chamados tapetes dos pés…imaginem só…almofadados! O que eu adorava aquela sensação!!! 

Para além disso, tinha outras inovações “muito à frente” de todas as outras marcas conhecidas na altura, algumas delas, só existiam mesmo naquele modelo: Faróis direcionais (que acompanhavam a estrada, projetando o feixe de luz, para o lado em que se virava a direção; Direção assistida (novidade); Travão de disco (uma inovação na altura); suspensão pneumática, o que o transformava no carro mais comódo da época; e para mudar o pneu não era preciso o “vulgar macaco”, o carro “subia” sozinho e a troca de pneus era assim facilitada, sem fazer força para subir e descer o carro. Enfim uma série de inovações para a época que podem facilmente consultar através do Google. Não nos esqueçamos que este modelo foi lançado no final dos anos 50 (Primeiro o ID e depois o DS) 

Porque é que coloquei este “género” de crónica nesta secção de “Coisas boas, mas…”? 

Precisamente porque a marca do Double Chevron (Citroen) nunca conseguiu evoluir este modelo, apesar das várias tentativas…XM, Xantia,Cx,SM, C8, etc… 

Se puderem experimente este modelo, e depois digam de vossa justiça! E não se esqueçam que estamos a falar de há mais de 50 anos… 

Boas viagens, e boa paragens para…Comer!!!! 

Deixe um comentário

%d bloggers like this: