Coisas Boas em Alta
  • Histórias em Alta

    O Padroeiro de Lisboa

    Hoje dia 22 de Janeiro, celebra-se São Vicente, mártir cristão e santo padroeiro de Lisboa, cuja lenda inspira o brasão da Cidade. É  representado por uma estátua em pedra, da autoria de Raul Xavier, e segura a barca, símbolo de Lisboa. Originalmente Vicente de Saragoça foi um santo mártir do início do séc. IV, tendo sido vítima das perseguições de Diocleciano. A lenda diz que o seu corpo terá sido depositado no cabo de São Vicente, e que, em 1173 o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, terá ordenado que as relíquias de São Vicente viessem numa barca até Lisboa. Durante a viagem, a barca foi sempre acompanhada por dois corvos, facto que ainda hoje se encontra representado no brasão da cidade de Lisboa. Para colocar as relíquias, D. Afonso Henriques ordenou a construção de uma pequena igreja dedicada a S. Vicente, que passou a ser conhecida como S.…

  • Histórias em Alta,  Produtos em Alta

    O soutien – Sloggi

    Tem sido uma grande caminhada no que toca a história do soutien. Mary  Phelps, de Nova York patenteou em 1914 o primeiro soutien sendo assim reconhecida como a criadora deste acessório feminino. Em 1930 a peça ganhou ainda mais destaque pois já existiam muita variedade de cores, tamanhos e modelos. Não demorou muito para o soutien se tornar num objeto de sedução.  O acessório também virou símbolo de passagem para uma mulher adulta, que perdeu a inocência e que de certa forma, já poderia ser cobiçada pelos homens.   Mas, nem sempre foi assim. Um episódio que aconteceu numa manifestação das ativistas do Women’s Liberation Movement durante o concurso Miss America de 1968 ficou muito conhecido. No protesto feminista, as mulheres teriam queimado soutiens. Mas penso que na verdade, esta queima foi apenas  simbólica.  Até então, o soutien passou  por mudanças estruturais tendo como função ser apenas uma peça íntima…

  • Histórias em Alta

    A Lenda do Bolo-Rei

    Hoje é o dia dos Reis! Aqui vos deixo a lenda onde se explica para que serve a fava. Quando os Reis Magos foram visitar o Menino Jesus, perto da gruta onde estava o Menino, tiveram uma grande discussão para saber qual deles seria o 1º a oferecer os presentes. Um artesão, que por ali passava, assistiu à conversa e propôs uma solução para o problema, de maneira a ficarem todos satisfeitos. O artesão resolveu fazer um bolo e meteu uma fava na massa. Depois de cozido repartiu o bolo em 3 partes e aquele a quem saísse a fava seria o 1º a oferecer os presentes ao Menino. Assim, ficou conhecido pelo nome de Bolo-Rei. Dizem que a côdea do bolo simboliza o ouro, as frutas simbolizam a mirra e o aroma. Hoje é dia de comer uma fatia de bolo rei!

  • Histórias em Alta

    A Cruz Milagrosa

    A romaria de gente que corre a visitar Óbidos cada vez é maior. E vale mesmo a pena. Óbidos é lindo e está dentro de muralhas que a tornam uma beleza.   Passear pelas ruelas, entrar nas lojinhas e beber uma ginjinha tudo delicioso.  Mas hoje falo-vos do Santuário do Senhor Jesus da Pedra, grande que se farta que fica junto da estrada que liga Óbidos a Caldas da Rainha. Foi construído em 1747 e está envolto em imensas lendas! Não há nada documentado, mas gera grandes peregrinações e imensa devoção. O nome do Santuário veio da lendária cruz de pedra com uma escultura de Jesus que está localizada perto do altar.  Esta cruz é objeto de imensa devoção popular e as pessoas crentes parece que ficam “possuídas” quando se aproximam da Cruz. De acordo com a versão mais popular da história, durante as secas severas em 1730, a tal cruz do século…

  • Histórias em Alta

    Piercings

    Vejo cada vez mais pessoas com piercings e sorrio. Nunca me atreveria a meter-me a fazer porque tenho medo e não gosto de sofrer. É um acessório estético, e continua a haver alguns preconceitos com pessoas que usam o piercing. Nos empregos tem havido algumas discussões, pois os patrões não admitem o uso e o que é certo é que eles ganham a batalha. Nada de enfeites no nariz, nas orelhas e nas sobrancelhas. A utilização de piercings é algo muito característico e que mostra de imediato a personalidade de quem os usa. É uma prática utilizada há mais de 5000 anos e muito ligada a expressões culturais e até religiosas. Atualmente penso que é usado principalmente por adolescentes para marcarem a diferença. Seja nas orelhas, na sobrancelha, nariz, língua ou nos mamilos, um piercing é sempre um elemento diferenciador. E como tudo, também esta forma de nos expressarmos tem…

  • Histórias em Alta

    Tomar Banho!

    Para mim está fora de questão não tomar um banho por dia. E se chegar a noite muito cansada toca de tomar outro banho para ir para a cama. Vivi toda a vida em África e lá é impossível não se tomar banho. Agora leio que de acordo com o Hospital da Luz, o hábito e a frequência do banho variam entre países, culturas e até mesmo com a própria atividade profissional.  Não há nada contra o banho diário, mas porém, em casos específicos, pode não ser recomendável, dizem eles. Caramba. Quando os banhos são demasiado frequentes pode haver comichão, pele seca a descamar e gretada, bem como infeções favorecidas pelas lesões da pele e desequilíbrio da flora. Com o banho o cabelo pode ficar mais seco e quebradiço. E embora estes problemas sejam mais comuns entre crianças e gente velha. Não acredito. Ou seja, acho eu que quando o…

  • Histórias em Alta

    Volta a Lisboa

    A chamada ‘Volta a Lisboa’ consiste num passeio de bicicleta pela nossa cidade. A partida é no Parque das Nações. Percorro a zona ribeirinha, a baixa de Lisboa, a Avenida da Liberdade ou a Almirante Reis, a Fontes Pereira de Melo e Avenida da República ou a Guerra Junqueiro e a Avenida de Roma, a Avenida do Brasil e por fim a Marechal Gomes da Costa, quase sempre em ciclovia. Sou fã das ciclovias, das que estão bem integradas no ambiente urbano da cidade. Temos de privilegiar os modos suaves de mobilidade. Este passeio respira sustentabilidade e liberdade. Sinto a vida e a energia da cidade. Gosto das cores, dos cheiros, dos sons e do movimento de cada zona. Faço estes passeios apenas por lazer e ao fim de semana. Infelizmente não consigo ir para o trabalho de bicicleta. Este mês tive a ideia de fazer a ‘Volta a Lisboa’…

  • Histórias em Alta

    Triste envelhecer

    Tenho o hábito de ir tomar o pequeno almoço na esplanada que fica debaixo do meu prédio. Já conheço pelo menos de vista, algumas das pessoas que vou encontrando. Mas há um casal que os tenho seguido há talvez 10 anos.  Já na reforma, ele advogado e conhecido por motivos não muito próprios, instalam-se numa mesa. A senhora transforma com ligeireza a mesa num pequeno escritório. O Jornal Correio da Manhã em posição para ele ler e ela com uma pilha de livrinhos de sopa de letras que vai fazendo devagar e sem estar concentrada. Vai observando as pessoas e sempre com um controlo férreo nos olhares que o marido tem para as senhoras que estão pouco interessadas neste senhor idoso.  Parece ser possessiva e muito ciumenta e  afasta tudo que é mulher. Seja um simples “bom dia” ou “hoje está frio!” Chegados ao meio dia levantam-se e lá vão…

  • Entretenimento em Alta,  Histórias em Alta

    O meu livro!

    Luís Sepulveda – História de uma gaivota e do gato que a Ensinou a Voar Quando saiu o livro de Luís Sepulveda com o belo título: “História de uma gaivota e do gato que a Ensinou a Voar,” que  conta a história de Zorbas um gato preto e gordo, pensei que tinha de comprar o livro.   Mal eu sabia que o livro me traia estados de alma variados! Comoção, apreensão e respeito pelo compromisso das promessas dadas. A história é uma fábula que pode muito bem ser uma história de todos nós! Uma gaivota apanhada por uma maré negra de petróleo deixa ao cuidado de Zorba, antes de morrer, o ovo que acabara de pôr. Todo o livro é poesia pura. Os diálogos entre os grupo de gatos que ajudam a pequena gaivota a crescer, a alimentar-se é comovente. Que se tornam pais da gaivota e lhe ensinam que muitas…